Notícias

A neura do Pós-Operatório.

O seu melhor Pós-operatório ! Vamos falar hoje sobre o dia-a-dia após a cirurgia de Otoplastia e do que temos acompanhado nestas quase 3 mil cirurgias.
 

Optar por uma cirurgia de Otoplastia é algo muito pessoal e que normalmente vem acompanhado de um turbilhão de emoções diferentes – desde a empolgação antes da cirurgia até um certo “desânimo” pós-operatório.

Apesar de explicarmos todos os cuidados pós-operatórios, é importante que você se prepare emocionalmente assim como se prepara fisicamente para a recuperação. Nesse período, é normal que você passe por um espectro de emoções (lembrando que não existe regra e algumas pessoas simplesmente não passam por nada disso).

Você já realizou sua otoplastia tão sonhada e não está totalmente recuperado da operação, mas levará a otoplastia para sempre em sua vida.
E pelo menos nesses primeiros meses, com certeza você vai pensar nela nem que seja uma vez por dia. Todos os dias.
É importante você conhecer suas expectativas, pois estas estão relacionadas diretamente com o grau de satisfação pós-operatória. Fatores como pessimismo, ansiedade, apresentam maiores riscos de complicações. Quanto menos ansioso você for, maior será a chance de sucesso e satisfação.  
Como você pode imaginar, as coisas ficaram muito melhores depois da cirurgia. Aquela história de se sentir incomodado ficou enterrada no passado. 
E hoje é muito legal poder sair na rua sem o boné, de rabo de cavalo ou tirar uma foto sem se preocupar com o resultado que tinha tudo para ser desastroso. Por outro lado, é bem estranho ver as fotografias pré-otoplastia. A diferença é gritante, e você só pensa em passar um Photoshop ali para corrigir tudo. De modo geral, é isso o que acontece: as lembranças mais indesejadas ficaram apenas nos porta-retratos. E no seu cotidiano você vai curtindo a “vida nova” e fazendo coisas que não fazia antes. Então você se dá conta de que realmente vale muito a pena fazer a cirurgia.
 
As conversas sobre o formato e a assimetria das orelhas sempre rendem longas discussões.
É extremamente importante ressaltar que a assimetria das orelhas é muito freqüente, podendo ser decorrente de alterações desde o início do seu crescimento. Assim, podemos dizer que a simetria das orelhas dificilmente pode ser alcançada pelo cirurgião, apesar de termos este objetivo. 
Se a própria natureza não as deixou idênticas, pode-se imaginar que este objetivo não é tão simples de ser alcançado. Geralmente os resultados são muito bons, mas é importante salientar que quase sempre a orelha direita é diferente da esquerda e assim, alguma assimetria poderá existir após a cirurgia não sendo decorrente do procedimento, mas sim do próprio formato assimétrico das orelhas antes da cirurgia. Analise sempre em suas fotos de "antes" como elas já são assimétricas.
Existe uma boa chance das suas orelhas não ficarem exatamente iguais;
Existe uma chance considerável das suas orelhas abrirem. Pode ser muito ou pouco, mas elas abrem. Em 95% dos casos elas abrem para o aspecto natural das orelhas e apenas em menos de 5% dos casos pode ocorrer a reincidência.
 
No primeiro mês da otoplastia, as orelhas mantêm aquela aparência “colada”, mas depois é natural que elas comecem a se ajeitar e a tomar um formato mais definitivo. E acho que você não deve se desesperar com isso e sem encanação. Olhe sempre o antes e o agora! 
 
Durante essas conversas nos grupos virtuais, evite comparações do tipo “sua orelha ficou melhor que a minha”, porque afinal, cada pessoa nasceu de um jeito. Algumas orelhas são mais abertas nas pontas, outras são mais abertas no meio e outras são totalmente abertas. E não é uma cirurgia plástica que vai deixar a sua orelha mais parecida com a orelha do seu amigo. Cada um com a sua, certo? 
 
Muitos notam que suas orelhas abriram um pouco na ponta, que estavam mais coladas, que está diferentes uma da outra.
Mas apesar de não estarem coladas,  elas estão infinitamente melhores do que eram antes. Não tem comparação. No começo elas também eram um pouco assimétricas, mas depois ficaram mais parecidas. É assim que funciona. Elas vão mudando com o tempo. Se você acabou de fazer sua otoplastia e está preocupado com isso, só tenho uma coisa a dizer: fique calmo, amigo; fique calma, amiga. Ainda é recente e muita coisa vai acontecer nos próximos 6 meses. E desencane de ficar se olhando toda hora no espelho, porque ele engana muito. Nestas eventualidades é fundamental manter a calma e aguardar o processo.
 
Se você transmitir a existência destas modificações que são naturais aos seus amigos e familiares. Eles poderão deixá-lo (a) inseguro (a), nada podendo fazer efetivamente para ajudá-lo(a). Isto gera angústia, dúvidas e insegurança. Continuar confiando no seu médico ainda é o melhor caminho e ele saberá como lhe ajudar. 
 
A recidiva ou retorno da orelha em abano é uma condição pouco comum que pode ocorrer, é uma questão estatística e também depende MUITO dos cuidados pós operatórios seguidos por você, PRINCIPALMENTE no processo de higienização.
 
Resultados definitivos somente devem ser considerados após 18 meses da cirurgia. As cirurgias de retoques, quando necessárias, serão aconselhadas pelo cirurgião, devendo-se respeitar o tempo necessário para a adequação dos tecidos e acomodação das cicatrizes, que são no mínimo 6 meses.
Quando realizadas em momento inoportuno, podem não alcançar os resultados desejados.
 
Esperamos ter esclarecido e lhe acalmado, aguarde mais um pouco, curta seu novo momento, lembre-se de tudo que passou e pense: "Quando completar os 6 meses, posso melhorar ainda  mais se realmente eu quiser."

© Copyright 2020 - Desenvolvido por: TC Design & Web

Fale com a gente